Ozonioterapia

A terapia com ozônio funciona interrompendo processos não saudáveis no corpo, como o crescimento de bactérias patogênicas se houver uma infecção, ou impedindo alguns processos oxidativos, podendo por isso ser usado para melhorar diversos problemas de saúde:

  1. Problemas Circulatórios
  2. Doenças Virais como Hepatite e Herpes
  3. Ajuda a reduzir os efeitos colaterais da Radioterapia e Quimioterapia
  4. Feridas de origem vascular, arterial ou venosas, úlceras diabéticas e por insuficiência arterial
  5. Queimaduras de diversos tipos
  6. Hérnias de Disco, Protrusão Discal e dores Lombares
  7. Dores articulares decorrentes de inflamações crônicas
  8. Infecção Urinária
  9. Colites e outras infecções intestinais crônicas
  10. Psoríase
  11. Melhora da Qualidade de vida do idoso

Dra. Viviane Vieira

Saúde Estética Avançada

Ozonioterapia atua de forma complementar e coadjuvante, auxiliando com excelência os tratamentos convencionais. 

Não possui efeitos colaterais e poucas contraindicações. O ozônio alivia e trata mais de 200 patologias.

É capaz de:

  • Ativar os mecanismos de defesa do organismo, modulando o sistema imunológico;
  • Estimular a circulação; 
  • Criar glóbulos vermelhos superalimentados na medula óssea, o que ativa o status antioxidante do corpo;
  • Modular a cascata inflamatória e liberar óxido nítrico promovendo vasodilatação; 
  • Combater processos inflamatórios de forma mais rápida e eficiente;
  • Liberar fatores de crescimento (regeneração); 

Possui efeito bactericida e tantos outros benefícios.
Por isso, o ozônio é considerado pelo termo “Molécula da Vida”. 

Alguns benefícios:

  • Analgesia, 
  • Ação anti-inflamatória; 
  • Disfunção de ATM;
  • Combate às dores na coluna, 
  • Hérnia de disco, 
  • Dores nos joelhos;
  • Protrusão discal, 
  • Dores lombares; 
  • Dores articulares decorrentes de doenças inflamatórias crônicas; 
  • Recuperação de problemas respiratórios, circulatórios; Sistema imunológico; 
  • Diabetes, 
  • Feridas decorrentes do diabetes; 
  • Feridas com infecções ou inflamações de difícil cicatrização como úlceras, 
  • Feridas de origem vascular, varizes, 
  • Úlceras por insuficiência arterial, úlcera diabética, riscos de gangrena;
  • Doenças e condições do paciente idoso;
  • Doenças causadas por vírus, tais como hepatites, herpes simples e herpes zoster;
  • Queimaduras;
  • Recuperação da derme
  • Capaz de reduzir os efeitos nocivos da radioterapia e da quimioterapia;
  • Combater germes e bactérias; 
  • Colites e outras inflamações intestinais crônicas;
  • Contribuir para a recomposição de tecidos que apresentam dificuldades de cicatrização;
  • Enxaquecas;
  • Sinusite, Rinite;
  • Psoríase;
  • Fibromialgia;
  • Conjuntivite; 
  • Fungos 
  • Vaginite recorrentes; 
  • Infecção urinária; 
  • Distúrbios musculoesquelético;
  • Aplicações estéticas
  • Acne;
  • Flacidez;
  • Rugas finas; 
  • Olheiras;
  • Manchas solares;
  • Melasma…

A História

Durante a 1a Guerra Mundial, com poucos outros recursos médicos disponíveis, o ozônio medicinal era aplicado topicamente nas feridas infectadas devido suas propriedades antibacterianas. Nisto, descobriram que o ozônio não apenas remediava a infecção, mas também possuíam propriedades hemodinâmicas e anti-inflamatórias.

É uma terapia utilizada há 100 anos em diversos países. 

Existem mais de 3100 artigos no Site PUBMED e outros tantos no site da Associação Americana de Ozonioterapia, (www.aaot.us) relatando os efeitos benéficos do tratamento com Ozônio.

Como é feito o tratamento?

Existem várias formas de realizar a ozonioterapia. O tipo de aplicação dependerá da necessidade de cada paciente.
 
Através, da consulta o profissional de saúde habilitado poderá avaliar o paciente e lhe indicar a forma de aplicação mais adequada. 
 
O gás ozônio pode ser diretamente aplicado sobre a pele, em casos que se pretenda por exemplo tratar uma ferida, através de “Bag”, aplicação local, óleo ozonizado; também pode ser aplicado de forma sistêmica, por insuflação, via intravenosa, via intramuscular, assim como a forma oral (óleo ozonizado ou água estéril ozonizada).

Além dessas, também são usadas outras técnicas, como a aplicação intra-articular e paravertebral.

Quando não é indicado?

O ozônio médico está contraindicado de forma absoluta para pacientes que possuam favismo.
 
Existem algumas poucas contra-indicações relativas, e cabe ao profissional de saúde habilitado avaliar e propor a terapia. 

Dra. Viviane Vieira

Saúde Estética Avançada

Abrir chat
Oi quer marcar uma consulta ?
Oi quer marcar uma consulta ?